outubro 19, 2007

Crédito pessoal vale a pena?

Posted in Educação financeira tagged , , , , às 16:53 por Arthur Gouveia

Notas e Moeda– Arthur, e o crédito pessoal? O que há sobre ele?

– Pedro, essa é uma modalidade de crédito que tem um grande número de adeptos. Com os empréstimos consignados, o volume de dinheiro nesse tipo de crédito tem crescido consideravelmente.

– Empréstimo consignado é aquele que o valor da prestação já vem descontado em folha, né?

– Isso mesmo, Pedro. O empréstimo pessoal, geralmente tem taxas de juros mais baratas que outros tipos de financiamento, mas às vezes perde para o CDC. Por isso o crédito pessoal é uma boa alternativa para casos que não envolvam a compra de bens de consumo. Muita gente tem se dado mal, especialmente aposentados e pensionistas do INSS. Essas pessoas caem no conto do “crédito rápido e fácil” e se endividam para fazer compras de produtos supérfluos.

– Ué, se não é para comprar, pra que serve o crédito pessoal?

– Serve para trocar de dívida. Se você está devendo para o cartão de crédito ou está enroscado no cheque especial pagando juros de 8% ao mês, contrate imediatamente um empréstimo pessoal para pagar essas dívidas. Você vai trocar uma dívida caríssima por outra bem mais barata. Algumas financeiras oferecem o tal do “crédito rápido e fácil”. Abra o olho pois às vezes os juros são maiores que os do cheque especial!

– Caramba! Então existem taxas diferenciadas?

– Sim. Como qualquer coisa, vale a pena pesquisar. Oferecer garantias como o carro ou um avalista pode reduzir consideravelmente os juros. Geralmente financiamentos por prazos menores também possuem taxas mais atrativas. Vale também tentar adequar as datas de pagamento das prestações com as datas de recebimentos de créditos como salário e aluguéis. Ah, outra coisa a ser observada são as taxas. Geralmente existe uma Taxa de Abertura de Crédito (TAC), cobra-se IOF. Pode também existir uma taxa de cadastro e outras taxas mais…

– Caramba. Tem como reduzir isso?

– Tem sim! Se você tem acesso a uma cooperativa de crédito, as taxas são bem menores e não há incidência de IOF. Agora, de qualquer forma, valem as dicas: leia sempre o contrato, negocie as taxas e busque formas de reduzi-las, um bom histórico e garantias podem ajudar. Informe-se sobre o valor e a forma de cobrança das tarifas.

– Legal, Arthur. Valeu mesmo…

outubro 15, 2007

Precisando de dinheiro???

Posted in Dicas tagged , , , , , às 23:08 por Arthur Gouveia

Notas e MoedaPedro e Arthur conversam sobre as fontes de crédito

– E ai, Arthur, ganhando muito dinheiro na bolsa?

– De Agosto pra cá, descontando todas as taxas de corretagem e outros penduricalhos, meu patrimônio em ações já cresceu mais de 10%

– É… Eu não tenho dinheiro pra investir. Trabalhando de dia e estudando à noite pra ganhar menos de R$800,00. Tá difícil. Tô sempre precisando de grana…

– Pô Pedrão, se você guardar um pouquinho por mês, depois de um tempo vai ter uma boa graninha!

– É, eu sei, mas tô precisando de dinheiro agora!

– Tá endividado?

– Só um pouquinho. Ainda tenho umas dez prestações do computador pra pagar…

– Você é maluco! Quando terminar de pagar o computador ele já vai estar completamente desatualizado.

– Eu sei. Mas se eu estivesse precisando de dinheiro de verdade. Se estivesse quebradão, com grandes dívidas em vista, o que você acha que eu deveria fazer?

– Pedro, existem algumas alternativas de busca de recursos no mercado. Todas com vantagens e desvantagens.

– Quais são?

– A pior de todas é o cartão de crédito. Ao não pagar o valor total da fatura você está cavando um buraco pra se enterrar. Os juros são altíssimos. O cartão é uma boa opção se você souber usar bem, caso contrário só vai dar dor de cabeça.

– Mas devem ter alternativas melhores.

– Mas também existem alternativas ruins como é o caso do cheque especial. Taxas de juros altíssimas. Deve ser usado para problemas pontuais de curtíssimo prazo. Alguns dias no máximo!

– Essa alternativa eu não tenho. Minha conta não me dá limite de crédito.

– Outra alternativa é o crédito pessoal. Há a possibilidade de negociar taxas e prazos. Nunca usei, mas parece que tem algumas vantagens. Se for usar tente buscar recursos com o banco com o qual você se relaciona. Seu histórico de cliente, se for bom, pode trazer benefícios em relação às taxas. Se for possível buscar o crédito pessoal junto a uma cooperativa, melhor ainda. Mas vale sempre pesquisar…

– Sei…

– Outra alternativa de crédito é o CDC. O famoso Crédito Direto ao Consumidor. É muito usado para compra de bens duráveis como eletro-eletrônicos, veículos, materiais de construção… Apresentam taxas menores que as do crédito pessoal mas possuem menor flexibilidade de taxas e prazos.

– Esse eu nunca tinha ouvido falar.

– É o crédito que você usa ao financiar suas compras nessas grandes redes de varejo.

– Ah, sei!

– Mas amanhã falamos melhor sobre o cartão de crédito….

setembro 28, 2007

Um bate papo sobre gastos

Posted in Educação financeira tagged , , , , às 15:56 por Arthur Gouveia

Hoje vocês verão a estréia de alguns personagens no Endinheirado através de um bate-papo entre Arthur e Léo. Acho que assim o texto fica mais gostoso de ler e pretendo continuar postando nesse formato. Comentem, dêem seu feedback.

– Pô Arthur, você acredita que sobrou dinheiro na minha conta? Paguei todas as contas, investi um pouco com foco no longo prazo e aumentei minha reserva para emergências.

– Parabéns, você conseguiu! Viu como não é difícil fazer o seu dinheiro ser maior do que o mês?

– É… Disciplina é fundamental. Foi bom eu pagar as contas, investir e poupar antes de sair gastando.

– Você falou tudo. Disciplina é fundamental. E agora o que vai fazer com o dinheiro? Vai se premiar por ter conseguido?

– Pois é, estou pensando em comprar um notebook com esse dinheiro. Tem uma loja perto de casa que divide em 24 vezes! A prestação cabe direitinho no meu orçamento! Legal, não é?

– Não, não é.

– Como assim?

– Ué, você já tem um computador!

– Pô, Arthur! É um Athlon XP 1600. O HD é só de 40 giga e o bicho só tem 512 MB de memória RAM. O Notebook é dez! Vem com webcam integrada, wireless e bluetooth, tem dois giga de RAM expansível, só a placa de vídeo tem 512MB de memória. O HD é de 160 giga, gravador de CD e DVD processador dualcore de nem sei quantos gigahertz!

– E daí?…..

– Qualé Arthur! É um super computador!

– E daí?….

– E daí o que?

– Pô cara! Pra que você usa seu computador? Pra ficar baixando música e olhando site de sacanagem! Pra isso precisa de um super computador? E além disso, um PC com essa mesma configuração pode custar a metade do preço.

– É, mais um notebook é mais legal. Todo mundo lá no trabalho tem um! Até meu cunhado comprou e fica tirando sarro que o notebook dele faz isso, faz aquilo. Que ele acessa à internet da cozinha, do quarto, do banheiro…

– Por mim seu cunhado podia acessar a internet de dentro da banheira! Não foi ele que teve que vender o carro pra pagar um monte de dívida?

– Esse mesmo! Lembra só que carrão ele tinha? Aquilo é que era carro!

– Pô, Léo. O cara tava atolado até o queixo em dívidas! Aposto que ainda está, e fica por aí arrotando arrogância. E você ainda admira o mané! Qualé, quer ser igual a ele? Quer ser igual a seus colegas de trabalho? Que tal querer ser igual a você?!?!?!?!

– Como assim?

– Você não precisa do notebook e sabe disso. Se seu PC não te atende mais, dê um upgrade nele. Se ele tá muito ruim, troca por outro, mas dá pra manter o monitor, o teclado, o estabilizador…

– Pode ser…

– Claro que pode ser! Faz o seguinte: vá até a loja de computadores perto da sua casa e dê uma boa olhada em um PC sem monitor e peça pro vendedor te dar um orçamento por escrito com todas as especificações detalhadas do equipamento.

– Vou mesmo! Tem um computador com gabinete preto, néon, laterais de acrílico! Lindão!

– Você quer um computador ou uma peça de decoração?

– Pô, Arthur, mas você é um grande de um estraga-prazeres…

– Ha ha ha ha! Vai lá na loja, pega a especificação e guarda. Pega o dinheiro que sobrou na sua conta e investe. Repita isso e daqui a uns seis meses volte na loja e veja o que aconteceu com o preço. O computador ainda vai ser um super PC e vai estar bem mais barato.

– Ah, mas vou ter que esperar seis meses?

– Vai! Se até lá você achar que ainda precisa do PC, poderá comprar à vista sem pagar juros. Durante esses seis meses você vai fazer os juros trabalharem pra você e não contra você. Se depois de seis meses você já tiver esquecido do PC, pode até comprar outra coisa mais útil. Por falar nisso, essa sua camisa hein?

– O que tem?

– Já tá meio velhinha e apertada…

– Pô, mais é de estimação…

– Tá certo. O computador não é. Percebe que algumas coisas são necessárias comprar e outras você compra só porque são modernas, são bonitas, estão na moda ou todo mundo tem?

– É, você está certo.

– Pois é. Você deve gastar seu dinheiro sim, mas gaste consciente. Não desperdice o dinheiro que você conseguiu gastar. Vá jantar com a Lú, leve ela ao teatro, ao motel…..
Avalie a necessidade, avalie o que você precisa, avalie o que você quer. Pague à vista. Não faça dívidas! Respeite seu dinheiro que ele irá te respeitar.

– Valeu, Arthur!

setembro 25, 2007

Pagar as contas…

Posted in Educação financeira tagged , , , , às 17:27 por Arthur Gouveia

No artigo de ontem falei de um modo geral sobre o uso do dinheiro para atender à diversos aspectos da vida financeira de cada um de nós. Que tal mais detalhes sobre o primeiro destino de nossos rendimentos?

Precisamos entender que “não há almoço grátis”. A máxima do mercado financeiro diz que ninguém ganha algo sem pagar por isso e este conceito pode ser estendido à vida cotidiana. Continue lendo »

setembro 24, 2007

Dinheiro: Quem usa bem, não fica sem

Posted in Dicas, Educação financeira tagged , , , , , às 18:01 por Arthur Gouveia

Recentemente o Navarro publicou um artigo no Dinheirama sobre jantar fora. O artigo gerou uma série de comentários a favor e contra o conteúdo do artigo. Jantar fora é algo necessário e prazeroso ou simplesmente dinheiro mal gasto?

Eu particularmente acho que é algo que deve ser feito e ao mesmo tempo evitado. Acho que usar bem o dinheiro é fundamental, mas às vezes podemos aproveitar alguns prazeres carnais. Resolvi, então, falar à respeito de meu ponto de vista sobre usar bem o dinheiro. Continue lendo »