outubro 17, 2007

Cheque especial é bom para clientes nada especiais

Posted in Educação financeira tagged , , às 22:35 por Arthur Gouveia

CalculadoraPedro e Arthur continuam sua conversa sobre as formas de crédito

– Arthur, e o cheque especial? É uma boa fonte de crédito?

– Não mesmo, Pedro. As taxas são assustadoras. Em torno de 8% ao mês!

– Por que as taxas são tão altas?

– Pela facilidade. O cheque especial é uma espécie de “saldo extra” disponível na sua conta. Para conseguir o crédito do cheque especial o cliente do banco não precisa pedir, não precisa dar nenhuma garantia, não precisa fazer nada. O crédito está lá só esperando por você…

– Se é tão fácil, então vale a pena!

– Depende. O cheque especial, assim como o cartão de crédito, tem características específicas, vantagens e desvantagens.

– Como assim?

– O cheque especial possui algumas características oferecidas por alguns bancos como carência, taxas de juros regressivas ou mesmo a possibilidade de redução.

– Hein!?!?!

– Alguns bancos oferecem um prazo de carência sem cobrança dos juros. Se você restabelecer o saldo antes do vencimento da carência, o banco não cobra nada. Mas se você ultrapassar o prazo de carência, o banco cobra juros por todo o período incluindo o prazo de carência. Outra “facilidade” é a taxa regressiva, que diminui à medida que o tempo de utilização do saldo especial aumenta.

– Legal!

– Legal nada, Pedro! A taxa diminui de estratosférica para gigantesca! Mesmo a taxa reduzida é enorme! Isso também inclui os pacotes de redução de juros para clientes com investimentos, bom relacionamento, muito tempo de conta etc. Mesmo que você seja um cliente super fiel, tenha seguros e investimentos, a taxa de juros do cheque especial é muito alta.

– Então não vale a pena nunca?

– O cheque especial deve ser usado única e exclusivamente para necessidades eventuais e de curtíssimo prazo. No máximo alguns dias, não mais que uma semana.

– E dá pra evitar o uso do cheque especial?

– Claro! Com muita educação financeira. Mantenha um rigoroso controle do seu saldo e do fluxo de entradas e saídas de dinheiro. Cuidado com o débito automático, fique de olho nas contas a pagar e cheques pré-datados. Geralmente deixar de pagar uma conta é melhor do que entrar no cheque especial. A multa e os juros de contas atrasadas são menores que as taxas do cheque especial!

– Valeu Arthur! É vivendo e aprendendo…

outubro 15, 2007

Precisando de dinheiro???

Posted in Dicas tagged , , , , , às 23:08 por Arthur Gouveia

Notas e MoedaPedro e Arthur conversam sobre as fontes de crédito

– E ai, Arthur, ganhando muito dinheiro na bolsa?

– De Agosto pra cá, descontando todas as taxas de corretagem e outros penduricalhos, meu patrimônio em ações já cresceu mais de 10%

– É… Eu não tenho dinheiro pra investir. Trabalhando de dia e estudando à noite pra ganhar menos de R$800,00. Tá difícil. Tô sempre precisando de grana…

– Pô Pedrão, se você guardar um pouquinho por mês, depois de um tempo vai ter uma boa graninha!

– É, eu sei, mas tô precisando de dinheiro agora!

– Tá endividado?

– Só um pouquinho. Ainda tenho umas dez prestações do computador pra pagar…

– Você é maluco! Quando terminar de pagar o computador ele já vai estar completamente desatualizado.

– Eu sei. Mas se eu estivesse precisando de dinheiro de verdade. Se estivesse quebradão, com grandes dívidas em vista, o que você acha que eu deveria fazer?

– Pedro, existem algumas alternativas de busca de recursos no mercado. Todas com vantagens e desvantagens.

– Quais são?

– A pior de todas é o cartão de crédito. Ao não pagar o valor total da fatura você está cavando um buraco pra se enterrar. Os juros são altíssimos. O cartão é uma boa opção se você souber usar bem, caso contrário só vai dar dor de cabeça.

– Mas devem ter alternativas melhores.

– Mas também existem alternativas ruins como é o caso do cheque especial. Taxas de juros altíssimas. Deve ser usado para problemas pontuais de curtíssimo prazo. Alguns dias no máximo!

– Essa alternativa eu não tenho. Minha conta não me dá limite de crédito.

– Outra alternativa é o crédito pessoal. Há a possibilidade de negociar taxas e prazos. Nunca usei, mas parece que tem algumas vantagens. Se for usar tente buscar recursos com o banco com o qual você se relaciona. Seu histórico de cliente, se for bom, pode trazer benefícios em relação às taxas. Se for possível buscar o crédito pessoal junto a uma cooperativa, melhor ainda. Mas vale sempre pesquisar…

– Sei…

– Outra alternativa de crédito é o CDC. O famoso Crédito Direto ao Consumidor. É muito usado para compra de bens duráveis como eletro-eletrônicos, veículos, materiais de construção… Apresentam taxas menores que as do crédito pessoal mas possuem menor flexibilidade de taxas e prazos.

– Esse eu nunca tinha ouvido falar.

– É o crédito que você usa ao financiar suas compras nessas grandes redes de varejo.

– Ah, sei!

– Mas amanhã falamos melhor sobre o cartão de crédito….