outubro 15, 2007

Precisando de dinheiro???

Posted in Dicas tagged , , , , , às 23:08 por Arthur Gouveia

Notas e MoedaPedro e Arthur conversam sobre as fontes de crédito

– E ai, Arthur, ganhando muito dinheiro na bolsa?

– De Agosto pra cá, descontando todas as taxas de corretagem e outros penduricalhos, meu patrimônio em ações já cresceu mais de 10%

– É… Eu não tenho dinheiro pra investir. Trabalhando de dia e estudando à noite pra ganhar menos de R$800,00. Tá difícil. Tô sempre precisando de grana…

– Pô Pedrão, se você guardar um pouquinho por mês, depois de um tempo vai ter uma boa graninha!

– É, eu sei, mas tô precisando de dinheiro agora!

– Tá endividado?

– Só um pouquinho. Ainda tenho umas dez prestações do computador pra pagar…

– Você é maluco! Quando terminar de pagar o computador ele já vai estar completamente desatualizado.

– Eu sei. Mas se eu estivesse precisando de dinheiro de verdade. Se estivesse quebradão, com grandes dívidas em vista, o que você acha que eu deveria fazer?

– Pedro, existem algumas alternativas de busca de recursos no mercado. Todas com vantagens e desvantagens.

– Quais são?

– A pior de todas é o cartão de crédito. Ao não pagar o valor total da fatura você está cavando um buraco pra se enterrar. Os juros são altíssimos. O cartão é uma boa opção se você souber usar bem, caso contrário só vai dar dor de cabeça.

– Mas devem ter alternativas melhores.

– Mas também existem alternativas ruins como é o caso do cheque especial. Taxas de juros altíssimas. Deve ser usado para problemas pontuais de curtíssimo prazo. Alguns dias no máximo!

– Essa alternativa eu não tenho. Minha conta não me dá limite de crédito.

– Outra alternativa é o crédito pessoal. Há a possibilidade de negociar taxas e prazos. Nunca usei, mas parece que tem algumas vantagens. Se for usar tente buscar recursos com o banco com o qual você se relaciona. Seu histórico de cliente, se for bom, pode trazer benefícios em relação às taxas. Se for possível buscar o crédito pessoal junto a uma cooperativa, melhor ainda. Mas vale sempre pesquisar…

– Sei…

– Outra alternativa de crédito é o CDC. O famoso Crédito Direto ao Consumidor. É muito usado para compra de bens duráveis como eletro-eletrônicos, veículos, materiais de construção… Apresentam taxas menores que as do crédito pessoal mas possuem menor flexibilidade de taxas e prazos.

– Esse eu nunca tinha ouvido falar.

– É o crédito que você usa ao financiar suas compras nessas grandes redes de varejo.

– Ah, sei!

– Mas amanhã falamos melhor sobre o cartão de crédito….

outubro 12, 2007

Para a viagem não se tornar uma fria…

Posted in Dicas tagged , , , às 20:09 por Arthur Gouveia

PorquinhoFeriadão aí. Final de ano chegando, verão bravo no Brasil e inverno no hemisfério norte. Com a queda do Dólar algumas pessoas realizam o sonho da viagem ao exterior. Que tal um bate papo com alguém que se prepara para viajar e busca dicas de economia?

– Tô indo viajar, mas estou preocupado com o frio que deve estar fazendo por lá.

– Ué, basta se preparar. Levar as roupas necessárias para o clima local.

– Eu sei, mas não tenho agasalhos o suficiente e tenho medo de comprar um monte de coisas que nunca mais vou usar!

– Muito sensata sua preocupação. Mas cuidado para não comprar um monte de coisas inúteis e além de tudo ter que pagar excesso de bagagem.

– É isso que me preocupa!

– Então leve alguns itens básicos e obrigatórios: gorros, luvas, cachecol, casacos apropriados, calçados de borracha pra evitar a umidade da neve. A quantidade desses itens varia em função do tempo de permanência no seu destino. Para passar algumas semanas fora é suficiente levar seis pares de meia, três calças, duas jaquetas ou casacos, um gorro, uma luva, dois cachecóis e dois pares de sapato. Caso vá passar viajar por mais de seis meses, leve mais meias, quatro calças, três pares de sapato, dois conjuntos de moletom, dois casacos, uma jaqueta leve, duas blusas de lã, dois casacos pesados, além de dois gorros, três cachecóis e duas luvas. Uma outra orientação é levar cores neutras, para poder combinar bem as roupas.

– Bela dica!

– São dicas de uma especialista em turismo. Outra dica importante é comprar alguns agasalhos mais leves aqui no Brasil. Especialmente no fim do inverno quando os produtos estão em liquidação. Outra opção são os brechós. As peças mais pesadas deixe para comprar ao chegar ao seu destino pois lá essas peças são mais baratas e você encontrará casacos que suportam temperaturas mais rigorosas.

– Interessante…

– E na volta você pode até tentar uma venda em algum brechó. Ficar juntando tantas peças de inverno só valem para quem viaja muito.

– É. Vou me preparar para fazer as malas levando isso em conta.

– Só mais uma coisa: não se esqueça dos óculos escuros, protetor solar e roupas leves!

– Hein? Como assim?

– Mesmo em locais frios o sol pode prejudicar a pele. Além disso os ambientes internos são climatizados! Vale a pena levar uma roupinha de verão…

outubro 4, 2007

Mapa do Tesouro…

Posted in Dicas, investimentos tagged , , às 19:00 por Arthur Gouveia

Baú do tesouroArthur e Amanda conversam durante o jantar…

– Môr – diz Amanda – você que está estudando esse negócio de finanças, será que eu saio da caderneta de poupança?

– Tá pensando em entrar no mercado de Ações????

– Não!!!! Ainda acho que não estou pronta pra essas fortes emoções. Meus R$600,00 em fundos de ações já são arriscados o suficiente para mim.

– Bem, o Navarro colocou no blog dele algumas opções de investimentos falando das vantagens e desvantagens de cada uma delas. Foi meio superficial, mas já é alguma coisa.

– Ah, tá! E você vai deixar eu entrar no Dinheirama sem ficar dando palpite e lendo por cima do meu ombro, vai???

– Hahahahahahaha. É verdade.

– Então. Se fosse você, onde investiria?

– Olha amor, uma alternativa interessante pra você que tem uma leve aversão ao risco é investir em títulos públicos.

– Hein? O que é isso?

– Os títulos públicos são ativos de renda fixa. O governo lança esses títulos no mercado como uma forma barata de conseguir dinheiro para pagar as dívidas e investir no país.

– Ah, mas isso deve ser caro e difícil!

– Não, Môr! A partir de R$100,00 é possível comprar esses títulos. E tudo pela Internet!

– E o risco?

– É o investimento menos arriscado que existe no Brasil! Não tem nada melhor!

– Mas deve ser aplicação de longo prazo, né?

– Não, amor! Existem diversos tipos de títulos. Cada um para um perfil de investimento. Tem a Letra Financeira do Tesouro (LFT) e a Letra do Tesouro Nacional (LTN). Essas duas são para o curto prazo. Para o médio prazo tem as Notas do Tesouro Nacional séries B, C e F (NTN-B, NTN-B Principal, NTN-C e NTN-F).

– E quais as diferenças?

– As LFT têm rendimento diário vinculado à Selic. No dia do vencimento do título você recebe o valor investido (principal) e os juros. As LTN têm valor de resgate de R$1.000,00. Você compra com deságio e recebe esse valor no dia do vencimento. As NTN série B têm rendimentos vinculados ao IPCA (indicador de inflação) mais uma taxa de juros definida no momento da compra. Na NTN-B você recebe os juros semestralmente e, no dia do vencimento, recebe o valor investido. Já a NTN-B Principal paga tudo, os juros mais o principal, no dia do vencimento. As NTN-C têm seu rendimento vinculado ao IGP-M mais juros definidos no ato da compra. Também paga cupons semestrais de juros. Por último as NTN-F. Elas têm uma rentabilidade fixa mais um juro definido no momento da compra. Ufa!!!

– Ufa! Mas como eu compro esses títulos?

– Através do site do Tesouro Nacional! Você só precisa ter um CPF, morar no Brasil e ter conta corrente em um banco…

– Fácil assim?

– Mais ou menos. Você precisa estar cadastrada em algum agente de custódia que pode ser corretora de valores ou algum banco habilitado. Esse agente é o responsável por garantir que o governo irá receber o dinheiro investido.

– E esse agente de custódia cobra alguma coisa?

– Cobra sim. A CBLC cobra uma taxa de custódia de 0,4% ao ano, já que ela vai guardar seus títulos. Os agentes de custódia cobram taxas que podem chegar a 4% ao ano. A maioria cobra menos de 0,5% e algumas corretoras não cobram nada! Somando tudo você pode pagar menos de 1% ao ano, o que é muuuuito melhor que muitos fundos de renda fixa por aí.

– E o Imposto de Renda?

– Incide como em qualquer outro fundo de renda fixa. Aplicações de até 180 dias, 22,5%. Aplicações de 181 a 360 dias, 20%. Aplicações de 361 a 720 dias, 17,5% e para aplicações de mais de 720 dias a alíquota é de 15%.

– Legal! Gostei! A partir de R$100,00? Vou investir!

Links úteis:

Manual do investidor no Tesouro Direto (versão em PDF e online)

Dinheirama – Por dentro do Tesouro Direto

Crédito da imagem em paulhami.edublogs.org

setembro 28, 2007

Reserva de emergência

Posted in Dicas, investimentos tagged , , , às 09:21 por Arthur Gouveia

Você pagou suas contas e guardou um pouco para o futuro. O mês ainda não acabou? Parabéns! Você tem muitos méritos! Se ainda tem um dinheirinho na sua conta, é hora de fazer uma reserva de emergência.

Que tipo de emergência?

Deixemos as coisas muito bem claras. Uma super liquidação de sapatos, uma promoção de livros e DVDs, um feirão de carros com juros de 0,99% a.m. parcelado em 84 vezes, uma grande queima de estoques de eletro eletrônicos não são emergências! Leia o resto deste post »

setembro 24, 2007

Dinheiro: Quem usa bem, não fica sem

Posted in Dicas, Educação financeira tagged , , , , , às 18:01 por Arthur Gouveia

Recentemente o Navarro publicou um artigo no Dinheirama sobre jantar fora. O artigo gerou uma série de comentários a favor e contra o conteúdo do artigo. Jantar fora é algo necessário e prazeroso ou simplesmente dinheiro mal gasto?

Eu particularmente acho que é algo que deve ser feito e ao mesmo tempo evitado. Acho que usar bem o dinheiro é fundamental, mas às vezes podemos aproveitar alguns prazeres carnais. Resolvi, então, falar à respeito de meu ponto de vista sobre usar bem o dinheiro. Leia o resto deste post »

setembro 20, 2007

Tarifas bancárias, você pesquisa?

Posted in Bancos, Dicas às 07:07 por Arthur Gouveia

Você sabe quais tarifas seu banco lhe cobra? Você sabe por quais serviços ele cobra? Você utiliza todos os serviços pelos quais tem pago?

Poucas pessoas possuem tal nível de conhecimento. Eu mesmo pago, sei quanto pago, mas não sei exatamente por quais serviços estou pagando.

Tudo bem, mas o que eu faço?

Primeiro é preciso conhecimento. Pesquise o que seu banco lhe cobra. Não se atenha a Leia o resto deste post »